Mercado

MT estuda uso do lixo orgânico para geração de biometano

A estimativa é recolher cerca de 600 mil quilos de resíduo orgânico no mês, na capital Cuiabá.

 

A Secretaria de Estado de Agricultura Familiar (Seaf) estuda a possibilidade explorar o gás metano, como opção para o aproveitamento dos resíduos orgânicos gerados em Cuiabá. O projeto envolveria inicialmente a capital, com a coleta de todo resíduo produzido nas feiras livres e oriundos de outras fontes. A estimativa é recolher cerca de 600 mil quilos de resíduo orgânico no mês.

O secretário de Estado de Agricultura Familiar (Seaf), Silvano Amaral participou de uma das visitas técnicas ao projeto UD Biometano da Usina Itaipu Binacional, desenvolvido pelo Centro Internacional de Energias Renováveis-Biogás (CIBiogás).

O centro é uma instituição científica e de inovação que tem como meta, se tornar referência mundial na oferta de tecnologia para o desenvolvimento sustentável da cadeia do biogás. Na usina, o sistema opera com resíduos orgânicos gerados pelas atividades agropecuárias, agroindustriais, urbanas e industriais. Toda produção de biogás é consumida no abastecimento dos veículos que compõem a frota da Itaipu.

A solução apresenta uma série de vantagens, passando pela diversificação da matriz energética do país, e pela diminuição dos impactos causados pela decomposição do lixo, como a emissão de gases nos aterros sanitários.

Além do quesito econômico, a geração de energia a partir do uso do lixo orgânico reduziria os acúmulos depositados nos aterros sanitários, funcionando como alternativa para municípios que ainda não se adequaram à Política Nacional de Resíduos Sólidos.

 

Leia também: Aumenta o consumo de orgânicos em Goiás

Leia também: Produção de algodão colorido orgânico avança na Paraíba

 

Fonte: Primeira Página com informações do Agro News Brasil.

Redes Sociais