Notícias


Publicado em:
19
9/2018

Diferentes países apontam crescimento no número de veganos

Dietas sem proteína animal vêm ganhando cada vez mais espaço no combate à obesidade e às doenças cardíacas.



Metatags: Veganismo, Crescimento, Estilo de Vida, Alimentação, Saúde, Crescimento

Artigo publicado na Food Revolution aponta um aumento de 600% de veganos nos Estados Unidos nos últimos três anos. Em 2014, somente 1% dos norte-americanos tinha identificação com o veganismo. Já em 2017, esse percentual subiu para 6%.

O aumento dessa taxa tem impactado no consumo do país: a venda de leite vegetal aumentou 61% desde 2012. Cerca de 50% da população do país apoiam a proibição de matadouros e 70% admitiram sentir-se sensibilizados pela forma como os animais são mortos para o consumo da carne.

Além dessa mudança simbólica e de atitude sobre a forma como as pessoas percebem as indústrias, a exploração e o sofrimento animal, as dietas veganas vêm ganhando cada vez mais espaço no combate à obesidade e às doenças cardíacas, dois problemas de saúde pública nos EUA.

Também em outros países do mundo, tais mudanças estão sendo observadas. Um dos exemplos do crescimento exponencial do veganismo vem do Reino Unido: em 2016, 1% da sua se declarava população vegana; dados mais atuais apontam para um índice de 8%. O mesmo número, 8%, também representa a quantidade de australianos veganos. Na Itália, nos últimos 5 anos, o número de veganos ficou entre 6% e 8% da população.

Isso gera um impacto em todo o mercado internacional, e a China já está de olho nessa mudança de estilo de vida. O gigante asiático anunciou que deve aumentar em 17% a produção de produtos veganos até 2020.

Fonte: Portal GreenMe


Últimas notícias

Cinco dicas do Sebrae para quem quer abrir um e-commerce

Plano de negócio é o primeiro passo para os interessados.
Leia Mais

Natal deve movimentar R$ 53,5 bi na economia

Dados da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas e do Serviço de Proteção ao Crédito apontam que mais de 110 milhões de consumidores devem ir às compras e investir, em média, R$ 116 por produto.
Leia Mais

Uso de cosméticos por meninas antecipa a puberdade

A informação é do estudo da Universidade da Califórnia, EUA. O uso frequente desses produtos afeta os hormônios do crescimento e adiantam a puberdade de meninas na faixa dos nove anos.
Leia Mais